ARKEÔ - Garimpo Vintage

ARKEÔ - Garimpo Vintage

http://WWW.arkeo.com.br

Milton Dacosta 60s

2 pessoas gostaram deste produto:
R$ 1 300.00
ou em 12x de R$ 130.52
Já pensou em ter em sua casa uma obra original de um dos maiores artistas da história do Brasil? Em lindo tom de rosa e grande formato, esta serigrafia da série "Vênus" faz parte da fase figurativa de Milton Dacosta na década de 60. Obra original, assinada a lápis pelo artista e numerada. Apresenta marcas naturais da passagem do tempo: pequenas manchas no papel que asseguram seus mais de 50 anos de história. Moldura em alumínio dourado, com vidro antirreflexo.

Pagamento em até 12x.

Dimensões da obra: Largura 39.3cm | Altura 53.3cm


Sobre artista:
Milton da Costa (Niterói RJ 1915 - Rio de Janeiro RJ 1988). Pintor, desenhista, gravador, ilustrador. Inicia estudos de desenho e pintura em 1929 com o professor alemão August Hantv. Sua primeira exposição individual ocorre em 1936, no Rio de Janeiro. Nesse ano recebe menção honrosa no Salão Nacional de Belas Artes. Na cidade de Nova York nos anos 40, estuda na Art's Students League of New York. Anos depois, após visita a vários países da Europa, fixa-se em Paris, onde estuda na Académie de La Grande Chaumière. Conhece Pablo Picasso (1881-1973), por intermédio de Cicero Dias (1907-2003), e frequenta os ateliês de Georges Braque (1882-1963) e Georges Rouault (1871-1958). Expõe no Salon d'Automne e regressa ao Brasil em 1947. Na década de 1950, desenvolve uma obra de cunho construtivista, característica que muda na década seguinte: retorna ao figurativo com a série de gravuras coloridas em metal com o tema Vênus.

Ao longo de sua vida, Milton da Costa participou de célebres exposições como a Exhibition of Modern Brazilians Paintings na Royal Academy em Londres (1944), XXV Bienal de Veneza (1950), Museu de Arte Moderna de São Paulo (1960), Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro (1959), participa da mostra Arte Brasileira do Século XX: Caminhos e Tendências no Rio de Janeiro e em Paris (1975), exposição Projeto Construtivo na Arte (1950-1962) na Pinacoteca do Estado de São Paulo e recebe retrospectiva no Museu de Arte Moderna de São Paulo (1981).